Apresentação

Olá!!! Para quem não me conhece, apresento-me.  Meu nome é Daniele, sou Terapeuta Ocupacional formada na PUC Campinas. Assim que me formei, já comecei a trabalhar em uma instituição que se dedica a pessoas com deficiências. Como essa instituição trabalhava com distintas deficiências (Sensorial, Física, Intelectual, TIC), diferentes idades (tanto no âmbito educacional como terapêutico), tive a necessidade de buscar conhecimentos e de tentar aprofundar em cada tema.

Além de cursos, congressos e jornadas, acabei fazendo especializações em áreas distintas: “Educação especial com ênfase em educação inclusiva” no Centro de Ensino Superior e de Gestão – FAI;  “Acupuntura” no Instituto Brasileiro de Acupuntura e Massoterapia em Alfenas, utilizando-a em uma modalidade de prevenção e complemento da minha prática profissional dentro de uma visão de homem em equilíbrio bio-psicossocial; “Artes visuais” na UFMG buscando uma ferramenta a mais para trabalhar e oferecer para a comunidade surda. Como toda terapeuta ocupacional, realizava adaptações para melhorar a independência e autonomia das pessoas com deficiência. Como minhas adaptações eram muito simples, busquei aprofundar um pouco mais no tema, para isso fiz mestrado em “Engenharia biomédica” na Universidade Favaloro em Buenos Aires, Argentina. Vejo que nossas necessidades em estudar não vão somente de acordo com nossa profissão, mas também segundo o momento que estamos vivendo. Quando soube que estava grávida do meu pequeno Martín, busquei aprofundar ainda mais no tema de DNPM (Desenvolvimento Neuro Psico Motor ), para isso fiz o curso de capacitação em “Desenvolvimento infantil” que objetivou a compreensão mais a fundo do desenvolvimento humano e os estímulos adequados em cada fase do bebê, sempre respeitando os diferentes tempos de cada um. E agora estou me capacitando na “CIF – Classificação Internacional de Funcionalidade e Saúde” com a instrutora Internacional (OPS-OMS) Dra. Grisel Olivera Roulet de Buenos Aires para que minhas avaliações de desempenho tenham uma linguagem universal (assim como propõe a Organização Mundial da Saúde).

Estímulos para o desenvolvimento infantil

Enfim, é constante a sede e a busca por querer estudar, até mesmo porque o conhecimento nunca acaba.

A Daniele é uma das principais colaboradoras do blog e escreve para os artigos do Guia Completo das Idades e agora terá também artigos sobre estímulos para o desenvolvimento infantil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.