Fisioterapia respiratória – Uma arma contra o excesso de medicamentos!

Como estamos na estação do ano em que as crianças ficam mais vulneráveis às doenças do inverno, vamos falar um pouco da fisioterapia respiratória, como ela pode te auxiliar na eliminação das secreções acumuladas e fazer seus filhotes respirarem melhor.

Se você tem um bebê em casa ou mesmo um filho pequeno, provavelmente já enfrentou dificuldades para eliminar a secreção que se forma com as doenças respiratórias, tão comuns nesta época do ano. Em muitos casos, apenas a limpeza com soro fisiológico e inalação já resolvem. Mas há quadros em que a secreção se acumula e acaba obstruindo as vias aéreas e, consequentemente, dificultando a respiração das crianças. Para estes casos, a fisioterapia respiratória pode ser uma grande aliada. A maioria dos pais desconhece este segmento milagroso da fisioterapia. “Quando indico a técnica no consultório, a grande maioria dos pais nunca ouviu falar. Mas, depois que conhecem o trabalho destes profissionais, aprovam em 100% dos casos”, afirma Marcelo Reibscheid, pediatra da UTI Neonatal do Hospital São Luiz (CRESCER).

A fisioterapia respiratória, também conhecida como ginástica respiratória, consiste num conjunto de técnicas terapêuticas manuais, que visam a recuperação da função respiratória, através da drenagem de secreções. As manobras de tratamento têm como objetivo facilitar a entrada do ar, melhorar a oxigenação, mobilizar e expulsar essas secreções, sendo os resultados praticamente imediatos, com a melhoria significativa da sintomatologia.

É normal que os pais fiquem em dúvida se a secreção que aparece no nariz dos filhos é apenas reflexo de um resfriado ou se pode evoluir para algo mais sério, como uma pneumonia por exemplo. Por isso, é importante observar alguns sinais que indicam a necessidade da fisioterapia respiratória. “Os pais devem ficar atentos se perceberem que a criança está com dificuldade para respirar, muitas vezes ficando ofegante e com desconforto geral”, explica Marcelo Reibscheid.

As manobras não são dolorosas, ainda que possam causem esta impressão aos pais, porque ao sentir-se incomodado o bebê pode chorar.

A principal orientação que podemos deixar aos pais é a lavagem das vias aéreas com soro fisiológico, inalação e a continuidade do tratamento indicado pelo pediatra responsável pela criança. Esses cuidados são responsáveis pelo sucesso e pela melhora do quadro clínico da criança, evitando muitas vezes o excesso de medicação e o uso precoce de antibióticos.

https://youtu.be/vechwPgNaQo?t=43s

Fonte:

http://revistacrescer.globo.com/Bebes/Saude/noticia/2014/07/ajude-seu-bebe-respirar-melhor.html

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.